quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Bolo húmido de ananás



RECEITA
Bolo húmido de ananás

Ingredientes:
  • 6 ovos
  • 3 chávenas (chá) de açúcar 
  • 3 chávenas (chá) de farinha
  • 1 chávena (chá) de leite
  • 3 colheres (sopa) de manteiga derretida
  • 1 lata de ananás
  • água (q.b.)
  • 2 colheres de sopa de açúcar
Preparação:
  • Separar as gemas das claras. Guardar as claras.
  • Junta-se o açúcar com a farinha, o leite, as gemas e a manteiga derretida.
  • Bate-se as claras em castelo. Depois de batidas, juntam-se ao preparado anterior. Mexe-se muito bem.
  • Unta-se a forma com manteiga e depois com caramelo. Colocam-se rodelas de ananás no fundo da forma e em volta, guarda-se a calda do ananás. 
  • Deita-se a massa e vai ao forno.
  • Depois de o bolo estar cozido, leva-se a calda com um pouco de água e duas colheres de açúcar ao lume, até ferver.
  • Pica-se o bolo com um garfo em vários sítios (para fazer alguns furos) e rega-se com a calda. 

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

#CoisasSobreNatal ii

Dia de Natal... Sinónimo de "dores de cabeça": os doces.

Quem resiste a uma rabanada pela manhã (considere-se manhã depois das 10h, ookk??), uma azevia em cima do almoço, uma fatia de tronco ao lanche, uma filhós depois do jantar e bolachas petiscadas durante todo o dia? Pois.

Poderia estar a exagerar (e estou, um pouco), mas Natal é, para além de toda a magia e o «blá blá blá» do costume, sinal de kilos a mais. (Nããããããããããoooooooooo)

@ google 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Carta ao Pai Natal

Num ato meramente consumista, já tinha feito a minha lista de desejos - aqui. Nada disso me faz falta. A minha lista é outra.

"Querido Pai Natal, presta atenção no meu pedido. Pensei muito no que pedir de presente. Apenas me dê força e muita saúde para seguir em frente, o resto eu consigo sozinha."

Mas, sabes Pai Natal, eu queria também uma escada, uma escada bem bem alta para poder ir até ao céu e estar mais uma vez com os que já partiram. Abraçar, beijar e ouvir quem partiu cedo demais. Este ano, foi particularmente difícil, e tu sabes disso. 

Como sei que isso não é possível, peço de envies um beijinho apertado e cheio de saudades à minha prima, é o primeiro Natal sem ela. Pede-lhe mais uma vez desculpa por mim. Já que estás lá, dá também um beijo ao tio A. e ao amigo J. Diz-lhes que gosto muito deles. 

Obrigada pela atenção. Beijinho também para ti. ❥ 

Feliz Natal

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Desejos de Natal

Foi ao som desta música, uma das minhas eternas músicas de Natal, que escrevo este post e faço assim a minha lista de desejos natalícios deste ano, na esperança que o Pai Natal passe aqui por casa e porque me portei bem durante todo o ano.

Por dentro, vivo o Natal como se fosse uma criança. Faço questão de manter a tradição de abrir as prendas à meia-noite, enfeitar a mesa da sala dias antes e mantê-la até dia 6 de Janeiro com doces, entre outras coisas. Incluí sempre isto na minha rotina natalícia, mesmo no ano em que a minha mãe estava internada. Mas, para este lista, na verdade, inicialmente vêm os clichés de sempre: amor, paz, amizade, saúde, termos quem amamos perto de nós.

Mas deixando as lamechices, o que importa é o presente e vivê-lo, desconhecendo o dia de amanhã. Por isso, não podia deixar de partilhar  algumas das coisas porque suspiro este Natal. 

- Querido Pai Natal:

❥ Encontrei estes corações super giros como sugestão para decorar a árvore de Natal, no entanto apaixonei-me por eles para pendurar no meu quarto.

❥ Fiquei deliciada com a agenda 2015/2016 da Mr.Wonderful. Os desenhos fofinhos, a disposição das coisas, os autocolantes, aquelas cores e bonecos alegram qualquer dia cinzento. Sim, é a minha cara. Ideal para os compromissos e aniversários. Há dois modelos e nem sei qual deles gosto mais. 

❥ Para um pequeno-almoço com uma mensagem diferente todos os dias, adorei esta caneca de ardósia.



 Ideal para os fins de semana e pequenos passeios, encontrei esta mala preta simples. No entanto e na mesma loja, encontrei esta, noutro estilo e maior.

❥ Qual é a pessoa que nunca recebeu um pijama no Natal? Pois eu já, e confesso que encontrei este que me deliciou. Ideal para as noites mais frias.



 Para dar um toque de cor aos lábios neste Inverno que se aproxima, adorei este e este batons vermelhos MAC.

Encontrei, também, no meio de tanta coisa que gosto, a prenda ideal para a minha mãe. Barato e numa vertente solidária, o livro de receitas da Missão Continente deste ano, abre o apetite a qualquer um. Certamente será mais um presente para mim do que para ela, que não precisa de aprender.

Simples e liso, este caderno, em alternativa a uma agenda ou simplesmente como "suplemento" da mesma, é ideal para andar dentro da mala com os nossos apontamentos, ideias, o que não nos podemos esquecer. 



Aaaaahhh.. É Natal, é Natal... ❥ Boas festas!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

A terminar

Falta cada vez menos para o ano terminar. Está na altura de começar a fazer-mos um balanço sobre o que foram as nossas prioridades e opções deste ano. O que fizemos de bem e de mal, as atitudes que tomámos ou das que não tivemos coragem de tomar, saber e conhecer as pessoas que caminham connosco e as que me estendem o pé para cairmos.

A importância deste balanço vai ser relevante no próximo ano. Ainda é cedo para fazer a "ata" final, mas está na altura certa para me endireitar e perceber muitas coisas. O rumo a seguir, quem vai e quem fica, delinear prioridades, etapas e objetivos.

2015 foi e está a ser um ano de muita mistura. Situações difíceis, perdas irreversíveis, entre tantas coisas. Mas o mais importante é guardar e recordar o que ficou de bom, apesar de existirem marcas que jamais o tempo apagará em mim.

Agora é seguir em frente, guardar os dias de sol, os dias coloridos, os dias felizes, os dias de sorriso e riso. Levar para o novo ano, que se aproxima, a gratidão da vida, do que temos e conseguimos obter ao longo dela, pelo que ela nos dá e ter fé para olhar além do que conseguimos ver e perceber que os episódios maus não nos movem, mas prendem os nossos pés ao chão, não nos deixando caminhar e avançar. Um novo ano, um novo começo, uma lufada de ar fresco (e não, não é do inverno). E, apesar, dos dias mais frios e mais cinzentos termos a certeza e a convicção que um novo dia chegará e será permitido começar de novo.

«Obrigada» deverá passar a ser palavra obrigatória ao final de cada dia. Aceita, vive, sobrevive, sorri, chora, berra, ama, faz o que te der na real gana, mas no final agradece por mais um dia, por mais uma luta, por todos os sentidos. Sorri apesar de tudo o que te possa acontecer. O segredo está aí, em (so)rrir a cada situação e continuar de cabeça erguida, descobrir e redescobrir a capacidade de fazer isso mesmo, brilhar com um simples e majestoso sorriso. Porque o sol que há dentro de nós, dá-nos o brilho que mais ninguém tem.

Acredita em ti, mais do que outra pessoa qualquer. Luta pelo que queres, pelos teus sonhos. Se não fores tu a acreditar em ti e a lutar pelo que queres, ninguém o fará!

Reinventa-te. Aceita. Sorri. Brilha. Segue em frente. Ergue a cabeça. Brilha. Arrasa. E no fim, agradece! 




terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Dezembro, meu querido Dezembro!!!

Dezembro. Mês de Natal. Para além de toda a magia que esta época transmite e se faz sentir pelas luzes na rua e nas nossas casas, e não só, Natal significa comida, nomeadamente doces (confesso que sou um pouco gulosa). Este é um mês de pecado: rabanadas, sonhos, bolo-rei, tronco, e todos os outros doces que não sendo tradicionais são levados para as nossas mesas.

Aqui em casa já começámos a pensar no que se vai fazer e no que se vai comprar ou não este ano. Os dias passam e convém ter tudo pronto a tempo e horas. Se é cedo? Não, claro que não, são apenas pensamentos e ideias.

Só de pensar parece que engordamos. Mas esse não é o meu caso, não este ano. Os olhos comem, o pensamento alimenta-se, mas estou com dor de dentes há três dias e nem consigo pensar nisso. Que a minha querida dentista me trate disto rapidamente.




sábado, 5 de dezembro de 2015

#CoisasSobreNatal i

De que adianta andarmos a perguntar à família e aos amigos o que querem de prenda de natal, se no fim oferecemos aquilo que vai de encontro ao nosso orçamento?


segunda-feira, 30 de novembro de 2015

É tempo de voltar a casa

A maior cadeia de supermercados alemã, a EDEKA, lançou um anúncio natalício que se está a tornar viral.


Inicialmente como protagonista, a campanha conta com um idoso que chega a casa das compras e ouve a mensagem deixada no gravador pelos filhos e netos, a dizer que não podem ir passar o Natal com ele, e prometem ir no ano seguinte. Passam três anos e a história repete-se, acabando o idoso por passar a noite de Natal sozinho.

A história sofre uma alteração de protagonismo, quando os filhos e netos recebem cartas e mensagens com a notícia da morte do idoso. O que vem depois, deixo para vocês verem e definirem.

«É tempo de voltar a casa», diz o slogan.


sábado, 28 de novembro de 2015

{respira fundo} ❥❥❥

Quando tudo parece estar a começar a dar certo, (PUMBA) vem a vida e prega-nos uma rasteira. Mas, eu consigo! Sei que sim! Não vou desistir.


«Há dias em que a vida vai acertar-te na cara, vai fazer-te cair do trapézio e não te dá rede, vai fazer-te viver o escuro, a sombra, o avesso e o lado que ninguém quer.
Vai fazer-te enfrentar, de olhos abertos, o encandeamento que não te deixa ver bem. E mostrar-te que, às vezes, é pela demasiada proximidade do ponto que vês tudo desfocado.
{respira fundo}
Não te prometo que vai ficar tudo bem à primeira, ou à segunda, ou à centésima tentativa. Nem sempre as voltas que o mundo dá te deixam no lugar certo. 
Não te prometo que vai ser fácil e simples e limpo, porque é o deserto que tens de atravessar. Mas prometo que nas margens do teu coração indizível vais achar [sempre] a solução que procuras. E que quando um dos lados não te bastar, terás sempre, e sempre, o outro. 
Para nadar, precisas de estar preparado para ir e voltar e ir mais uma vez. E precisas errar e acertar e (re)fazer tudo outra vez.» 
Retirado do "Às nove no meu blogue"

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Bolas! Vou fazer 21...

Ao ler o título: «Percebes que já não tens 20 anos quando...», do Homem Sem Blogue, fiquei curiosa e como só tenho 20 anos,  não resisti em abrir e ler. 

Ainda falta... mas vou fazer 21 anos em Janeiro e identifiquei-me com muitas daquelas imagens. Acho que estou velha!!!!

Deixo-vos algumas das que encontrei lá e outras que fui procurar. Vejam só:



"A pessoa X iniciou sessão"

Vivam as hastags, mas ainda me lembro da lenga-lenga: "asterisco, cardinal"

E jogava bem...

Em tempos de crise, ajuda! A mim, ajudou-me por outros motivos. Por necessidade de aprender e de crescer. Porque valores mais altos se levantaram e tive que o fazer para não me esquecer de nada.

Uii.. Confesso que raramente saio à noite durante o resto do ano, mas nas férias de Verão saio praticamente todos os dias. Durante o dia praia, à noite sair. O caminho para a praia é feito a pé, por vezes é feito quatro vezes - 2 idas e 2 voltas - qual a melhor solução para ter energia? Descansar e dormir na praia... e sabe tão bem!


Coisas da minha mãe, que passaram também para mim, digo eu!

Desde há muito tempo!!!

Ainda na Quinta-Feira recebi um brinde por um determinado valor nas compras. 

Sem comentários! Fui feliz a ouvir "Os Patinhos", As meninas da Ribeira do Sado" e outros. Tanta seca que dei aos meus pais.

Quantas vezes fiz este tipo de desenhos nos cadernos das minhas colegas com o nome delas e do rapaz que elas gostavam. E naquelas folhas onde conversávamos durante as aulas para que os profs não nos mandassem calar, tantas e tantas vezes fiz coisas deste género.

Vejam mais aqui: «Ya no tenés 20». 

sábado, 21 de novembro de 2015

Sósia de si própria!

Adele disfarçou-se dela própria para imitá-la! Confusos? Eu explico.

A cantora Adele mudou o seu visual, colocando um nariz e um queixo falsos, para participar num evento de imitadoras de... Adele.

Disfarçada dela própria, a cantora fez parte de um programa especial da BBC, no Wimbledon Theatre, em Londres. Adele confessou que até se sentiu nervosa, ao encarnar a "personagem". Só passado algum tempo é que todas as outras imitadoras perceberam o que se estava a passar.


Brutal! 


sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Três anos de ti

«Parabéns a você,
Nesta data querida
Muitas felicidades
Muitos anos de vida.»


Hoje é um dia importante para mim. A minha afilhada completa o seu terceiro aniversário. Infelizmente não estou com ela hoje, mas já lhe deixei a minha mensagem através do facebook da mãe. Deixo-vos um excerto do que lhe enviei: 

"Que nos sentemos no chão, que demos as mãos, que me puxes para onde queres ir, que continues a ensinar-me a ser criança, que me "emprestes" sempre o teu olhar para ver o mundo com outra cor, com outra magia. Espero que este dia seja, por muitos anos, um ponto de partida para grandes descobertas: tuas, minhas e nossas. Parece que foi ontem que recebi a noticia do teu nascimento e hoje já fazes 3 anos. Três anos cheios de aprendizagens e ensinamentos, três anos de coisas boas. 🚼👧💓
Parabéns minha pipoca, desejo-te o melhor, tudo, o mundo (sempre!).
Te amo"



quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Porque há coisas difíceis de explicar

Porque ser pai/mãe/tio/tia/etc nem sempre é fácil e por vezes quase que necessitamos de um livro de instruções para explicar as coisas menos boas deste mundo, coisas essas que não deviam existir. 

Este pai soube fazê-lo. Parabéns!

"The flowers and the candles are here to protect us"


terça-feira, 17 de novembro de 2015

Existir ou Não Existir

Encontrei este texto num estado de facebook de um amigo. Li e fiquei a pensar. Dá que pensar ou, pelo menos a mim deu.



"Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou os seus alunos com a seguinte pergunta:

- Deus criou tudo que existe?

Um aluno respondeu valentemente:

- Sim, Ele criou...

- Deus criou tudo? - perguntou novamente o professor.

- Sim senhor. - respondeu o jovem.

O professor continuou:

- Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal! Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus! é mau.

O jovem ficou calado diante de tal argumento e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito. Outro estudante levantou a mão e disse:

- Posso fazer uma pergunta, professor?

- Lógico - foi a resposta.

O jovem ficou de pé e perguntou: 

- Professor, o frio existe?

- Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?

- De facto, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos o frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia. O calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor. Todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor. E, existe a escuridão?

- Existe. - Responde o professor.

- Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode ser estudada, a escuridão não! Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores que a compõe, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não! Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz. Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim? Portanto a escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente. Senhor, o mal existe?

O professor respondeu: 

- Lógico que existe, como disse desde o começo, é só ler as manchetes: vemos ações terroristas, crimes e violência no mundo o tempo todo.

E o estudante respondeu:

- O mal não existe, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, como nos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente nos seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz.

Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado.
O diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome. E ele respondeu:

- Albert Einstein."




sexta-feira, 13 de novembro de 2015

13 l Novembro


«Azar? Azar é não tentar, não é não conseguir chegar ao destino que queremos. Azar é não sair dos trilhos e ver o que está do outro lado da vida. Azar é cair e recusares levantar-te. Azar é cruzares-te com quem não queres e deixares que isso te faça mal. Azar não é nada acontecer, é não tomar a iniciativa.

Azar? Azar é acreditares que o azar existe e que te condiciona.

Azar é não conseguires sorrir quando o dia coloca uma nuvem cinzenta por cima da tua cabeça. Azar é não abraçares as coisas simples que te fazem feliz. Azar é esqueceres-te de quem és. Do que queres. 

Azar é esqueceres-te de ti.»

by: - Rita Leston - 
Gosto de ti, e então?


domingo, 8 de novembro de 2015

Coisas matinais, e não só!!

"Tens cá um feitiozinho!!" - A típica frase que costumo ouvir. Não me importo, porque sei aquilo que sou. Tenho dias que nem eu própria me consigo aturar. O professor de matemática do 11º e 12º, inicialmente, como a todos os alunos, chamava-me pelo nome, mas a uma certa altura já me tratava por "mau feitio". 


É mesmo mau feitio. Não é arrogância, muito menos falta de humildade. Odeio ser acordada à pressa, muito menos que me comecem a fazer muitas perguntas quando ainda mal abri o olho. Estar levantada e de olhos abertos, não significa estar acordada. Tem de ser com calma... O stress faz rugas, e logo de manhã MAU HUMOR!! Enfim... Chego mesmo a ser um bocadinho "agressiva" nas coisas que digo e como digo, ou até mesmo, se tiver chateada com outra coisa qualquer, descarregar em quem menos culpa tem. A "sorte" é que depois passa, como se nada fosse!

Hoje o acordar aqui em casa foi assim... 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

«não te demores no menos»

Sou seguidora do "às nove no meu blogue". A sua autora parece que me conhece. Todos os dias, no facebook ela faz uma publicação com textos inspiradores e as palavras acertadas para o final de cada dia, acompanha. Decidi partilhar o de hoje convosco. 

Porque a vida ensina mesmo "quem sim, quem não e quem nunca", porque a força mais importante está dentro de nós mesmos, porque o universo equilibra a nossa vida, o que te tira e o que te dá é tudo em conta certa, porque a nossa luz incomoda quem está no escuro. 

5 de Novembro de 2015

« - ❥-
um dia, a vida chega e explica-te:
que a lei do retorno existe, que funciona, e que no tempo certo ensina-te a perceber ''quem sim, quem não e quem nunca''.
que a força mais importante, e aquela que realmente conta para a equação da coragem, nasce dentro de ti todos os dias.
que a teoria da balança equilibrada funciona. que entre o que tira e o que dá, o universo sabe o que faz.
e que a selecção natural é simples de entender [e aceitar]: 

por cada pessoa sem luz que cruza o teu caminho, há uma mão cheia de outras {luminosas e de coração limpo} que em ti plantam o bem, querem o bem e sabem que [do lado certo da vida] o resto vem.
# porque {acredita} vem mesmo.

- ❥- »

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Sobre ontem

Para os meus amigos sportinguistas não dizerem que fiquei sem internet ou que perdi a voz, que apesar da derrota que sofremos, não, não estou com azia, quem tem o escudo de campeão nacional somos nós (bicampeão, diga-se de passagem, já agora). Jogámos mal. Temos um jogo em atraso, é certo, mas isso não é desculpa para nada. Aliás, mesmo vencendo esse mesmo jogo, ainda há pontos de atraso em relação à outra equipa.

Estou triste. Triste não pela derrota contra o Sporting. Fico triste cada vez que o meu clube perde contra quem quer que seja. Sabíamos que ia ser um jogo difícil. De um lado, uma equipa com um treinador recente que conhece melhor que ninguém o adversário e toda a sua estrutura. Do outro, uma equipa com um treinador que chegou quase de rompante e agarrou no trabalho deixado alterando pouco.

Mas sabem, pode ser que esta derrota abra os olhos a quem de direito. Vencer ao Benfica a jogar na luz, ou melhor, vencer ao Benfica onde quer que seja, para os sportinguistas (alguns) mais parece que venceram um campeonato. Parabéns, mereceram. Façam a festa. 

E agora nós, meu Benfica, nunca desistam de nós, porque nós nunca desistimos de vocês. Olhem à vossa volta e dia 22 de Novembro joguem como se o mundo acabasse no dia seguinte, joguem num "vale tudo até arrancar olhos", mas cuidado com as faltas, claro. Ontem perdemos o jogo, mas eles só ganharam única e exclusivamente três pontos. Agora, se no dia 22 ganharmos pela margem mínima eles são eliminados da taça. 

Deixemos eles pensarem que está tudo "no papo". Deixemos eles brilharem contra as equipas ditas "mais pequenas". Deixemos eles ficarem com o ego em altas. Deixemos que o treinador deles se ache o maior. Porque as surpresas acontecem. Quando tudo menos esperar uma dessas "pequenas" equipas vence um jogo e empata outro, e os pontos vão se perdendo. No fim, ajoelham-se após o apito final do jogo. No fim, a história repete-se.



Só sei que isto ainda agora está a começar e muita água há-de correr no rio, no entanto, não sou benfiquista apenas nas vitórias, sou benfiquista nas derrotas e essas são só nossas. A nós massa benfiquista resta-nos continuar a apoiar os nossos jogadores, treinador, a cada jogo, a acreditar e lutar. Porque no fim, a vitória terá um gosto diferente.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Futuro

Acho que finalmente "encontrei" o meu caminho. Sei o que quero e pretendo lutar por isso com todas as minhas forças. É a minha vida e o meu futuro que está em jogo. É um livro aberto, em que a qualquer momento a história pode mudar. 

Planos tenho muitos, vontades idem-aspas. Apenas tenho pena de ter percebido tarde o que realmente quero. Tarde, não pela idade mas sim pela altura do ano. Nas férias que supostamente serviram para pensar, nada pensei e sim aproveitei os momentos. Hoje, não digo que me arrependo disso, mas devia ter "perdido" um pouco do meu tempo a pensar no que realmente interessa e não perdido esse mesmo tempo pensando no que não devia. 

Agora só no segundo semestre do próximo ano!! Até lá tenho outros objetivos para realizar. Mas, há coisas que devemos guardar para nós. Não me alongo mais sobre o assunto, nem aqui, nem com a minha família e amigos. Só falei disto com duas pessoas, a best e sei que ela não vai espalhar ao vento (ela sabe mesmo do assunto todo e do que se trata) e a minha irmã (mas não com muitos pormenores). O que ninguém sabe, ninguém fala, ninguém inventa, ninguém comenta, ninguém estraga.


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

tempo

 Ter tempo a mais deixa-me "cansada". Nunca pensei sentir falta da escola, de estudar, dessas coisas que quase todos odiamos enquanto lá andamos. Deixei por vontade ou por falta dela. As razões foram várias, mas se calhar com esforço meu, e não só, quem sabe no próximo ano ainda vá lutar mais pelo meu futuro e por mim.

O certo, é que ao acabar o secundário muita coisa mudou. Cada um seguiu o seu rumo, a sua vontade, a sua vida. Uns afastaram-se e, apesar das redes sociais, deixámos de falar, outros não deixámos que isso acontecesse. Tenho os melhores comigo, longe ou não, poucos mas bons. Prefiro a qualidade à quantidade.

A best está a estudar enfermagem e não há horários que permitam que estejamos juntas. Estágios, aulas, estudo, etc. Há mais de um ano que não nos vimos, mas estamos sempre lá uma para a outra, sem nunca "perder o contacto". As férias não coincidem, aulas até tarde e a distância são tudo consequências para nos juntar sentimentalmente mais. Palavras bonitas nos murais do facebook muitos sabem escrever, mas estar lá, mesmo que ausente fisicamente, poucos sabem.

J. este é para ti. Irmãs de mães diferentes, porque ninguém nos aguentaria juntas. Havemos de marcar o nosso cafézinho, com esforço chegaremos lá. Só não sei se apenas um café irá chegar para por a conversa toda em dia. Admite lá, já sentes falta do meu mau feitio!


"O tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo, que o tempo tem tanto tempo quanto o tempo tem."

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

coisas de gaja (de algumas)

Confesso que adoro ver as miúdas de 5/6 anos (ou mais, depende) de ténis de luzes a passear. Aquelas coisas de meninas, por vezes mariquices das mães, tias, avós, madrinhas, etc (duvido que os homens, na maior parte, o façam). Ficam tão giras! Nessas idades tudo (quase tudo) fica giro e fofo. Atenção, gosto na rua, num parque a brincar, nas férias, não para levar para a escola!

Sinceramente não me lembro se usei e se for perguntar à minha ela muito provavelmente também não se irá lembrar. Se me os tivessem calçado, eu deveria de andar toda feliz da vida, suponho eu, tal e qual como andei com aquelas maravilhas de roupas que todas as mães nos vestiam (graças a Deus que a moda muda).

No outro dia, entre as muitas imagens que tenho guardadas no computador e no disco, encontrei estes ténis e só me ocorreu um pensamento: uns destes, nas noites em que fui sair este verão e dancei até me vir embora tinha sido brutal! 


Enviei isto à R. (uma rapariga que conheci este Verão). Ela adorou assim como eu. Se da primeira vez que dançamos sem parar tivéssemos uns destes é que era. Se sem eles foram quatro horas, e não estou a exagerar, sem parar, assim seria até de manhã ou mais. Entre saltos e saltinhos, pulos e pulinhos, durante tantas horas os ténis até ficavam cansados. 

print de um vídeo nosso a dançar



sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Do bloco de notas... #6

"Quando estamos em crise por algo específico ou por tudo, uma preciosidade acontece: saímos do lugar. Damos um passo adiante. Buscamos por outras paisagens, outros personagens, novas histórias. Por mais dolorosa que seja uma crise, ela é um aprendizado. Ele nos diz que o que estamos fazendo não serve mais para que obtenhamos o resultado almejado. Ela nos mostra que aquela relação teve o seu tempo esgotado. Que aquele emprego não nos faz mais feliz. Que gostaríamos de começar outra atividade, nos especializar em outra coisa. Enquanto estamos confortáveis, não nos movemos porque tudo está do jeito que queríamos. Quando esta fase passa é hora de subir outro degrau, abrir um pouco mais a mente e reavaliar o que tem ocupado o nosso coração. Aproveite as crises para crescer, para ousar, para criar um movimento em seu benefício. Reclamar do processo não o resolve. Aceite e ponha ação em suas palavras. E, se puder, agradeça. Há merecimento nas graças obtidas pela GRATIDÃO."
Maria de Queiroz


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

bem-vindo!

Chegou, passava 20 minutos das 9 horas da manhã, dizem. Sorrateiramente, já todos o esperávamos, mas penso que poucos o queríamos. Bem-vindo Outono, espero que só tragas coisas boas e que não sejas muito rigoroso.


Sabes, ainda há roupa de verão que preciso de usar, que não vesti na devida estação. Sabes, ainda há coisas para fazer que não fiz antes e preciso de bom tempo. Sabes, há toda uma boa disposição em dias solarengos e brilhantes, que em dias chuvosos e escuros não existe. Sabes, és ali um primo muito próximo do Inverno e nós (a maior parte, acho) não gostamos. Por isto, e muito mais, sê bem-vindo, mas vem com calma, sim?!?!? 

Diverte-te, que nós também o vamos fazer, mas não abuses!
Beijinhos!!!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

está a acabar

Estamos a menos de uma semana de o verão terminar, mas pelos vistos já acabou. Vento, chuvas fortes e alertas laranjas e vermelhos? ME-DO!!! A manga curta ainda prevalece e vence esta tentativa de um outono prematuro, mas o casaco tem de aparecer para aquecer um pouco o corpo.

 Assim não gosto! Verão fica!  


Sou a única??


sexta-feira, 11 de setembro de 2015

mil e uma

Se me perguntarem se valeu a pena, claro que valeu! Podia ter sido diferente? Podia, mas não era a mesma coisa. Ficaram coisas por fazer? Já admiti que sim, e por dizer também. Mil e uma histórias poderiam ser aqui contadas, mas vou deixar as imagens (por ordem aleatória de tiragem) de um verão vivido com muito amor, amizade e diversão, falarem por si.

Agradeço a todos, sem excepção, os que me proporcionaram momentos únicos, gargalhadas estridentes, conversas mais sérias, os abre olhos, as danças de horas sem fim, as palhaçadas e brincadeiras no meio da rua. Tudo, tudo e tudo. Para o ano há mais!