quinta-feira, 1 de maio de 2014

Até morrer


Sei o que sofri na época passada. Estar em várias finais e perder uma a uma. Uma atrás da outra. Sei o que me custava cada jogo. Sei o que sofri derrota após derrota. Sei o que é estar prestes a ganhar um campeonato e de repente perder. Sei o que é estar prestes a ganhar a Taça de Portugal e de repente perder. Sei o que é estar prestes a ganhar a Liga Europa e de repente perder. Sei o que ouvi falarem de ti. Sei o que me custou estar calada. Sei o que é perder aos 92 minutos. Os infindáveis 92... Sei o que é ter tudo e de repente não ter nada.  Vi lágrimas. Vi ergueres-te perante as adversidades e não ser suficiente. Vi mostrarem orgulho à camisola. Vi tanto, mas não chegava. Havia de haver o nosso ano, e 2013, não era de certeza.

O bichinho do futebol entrou em mim e de mim não quer sair. Vivo jogo a jogo. Vitória a vitória. Derrota a derrota. Nunca te abandonei, nem mesmo quando começámos a perder logo no primeiro jogo do campeonato. Sabia que tudo podia mudar. E assim aconteceu. É o destino. E eu acredito nele. 

Em Janeiro vimos partir o Rei e depois o Mestre. Eles estão lá. Lá bem em cima. No topo, a olhar por nós. Sim... por nós. Porque quando jogas não jogas sozinho. São 11 em campo, uns tantos na bancada e milhões a torcer por vocês e com vocês. Eles estão lá a dar força a cada um de vocês. Nos remates, nas defesas, nos golos. Os monstros sagrados estão lá. Eles estão lá a assombrar todos os que nos querem derrubar. 

"Dizem que somos loucos da cabeça" e somos! Somos loucos por ti, loucos por esse emblema, loucos pelo sangue que nos corre nas veias ter a tua cor, loucos por nunca deixar de acreditar, loucos por ir contigo até ao fim, loucos por te amar incondicionalmente. Amamos-te com certeza!

Volto a dizer... é destino! O campeonato já é nosso. O Rei e o Mestre estavam lá. Festejaram com vocês no Marquês, festejaram comigo cá em casa, festejaram com todos pelo mundo. Ainda podemos festejar mais... sim, é verdade. Não se esqueçam que temos as mesmas duas finais que no ano passado. E como dois é pouco, temos a terceira: a Taça da Liga. Quanto ao JJ, para aqueles que não acreditavam nele isto é uma abre olhos.

Vale a pena caminhar ao teu lado. De vez quando torcendo o nariz, de vez em quando pensando o pior. Mas sempre contigo. Por que tu mereces. Tu mereces ter quem te siga, quem esteja ao teu lado. Não precisas que ninguém tenha pena de ti (Pirlo hoje digo-te... não tenho pena nenhuma de ti). Não precisas de comprar jogos e inventar faltas e blá blá blás (Sr. Platini reforme-se e deixe ascender alguém que goste de futebol e não de corrupção). E poderia continuar... Mas deixo só mais uma... Não precisas de descer de nível e gritar pelo adversário, quando se é enorme não há necessidade de ser anti-clube algum (Anti-Benfica não fiquem tristes, mas sim arranjem um clube).

Fico feliz por ainda haver fair-play. Fico feliz por ver sportinguistas a torcer pelo Benfica. Fico feliz por saber que hoje estavam portugueses a torcer pela equipa de Portugal na Europa e não apenas os adeptos do clube. Infelizmente nem todos têm esse fair-play, mas nem todos podem ser perfeitos.

Sei perfeitamente que ainda só ganhámos o campeonato, mas isso já nos deixou tão contentes. Chegámos a três finais, e isso nos deixou tão contentes. Começo a achar que seja com 11, com 10, com 9, somos os maiores e apenas esses, os maiores, chegam onde tu estás, às FINAIS. Somos uma equipa, somos milhões, somos uma família, somos Benfica. E ser do glorioso me envaidece. Seja a perder ou a ganhar, nunca te vou deixar. 


E pluribus unum